14 frases que alguém bissexual não aguenta mais ouvir – Nun - Roupas e Acessórios

14 frases que alguém bissexual não aguenta mais ouvir


Provavelmente, se você é bissexual, já deve ter ouvido muitas perguntas e afirmações indelicadas, com ou sem má intenção por parte de quem o disse. Apesar de ser difícil para toda a comunidade LGBT+ enfrentar o preconceito da sociedade patriarcal, os bissexuais lidam com o descrédito, às vezes, até do próprio grupo. Quando se trata de uma mulher bissexual o preconceito é ainda pior, por se aliar a uma visão machista deturpada de que ela precisa atender às suas fantasias.

A seguir estão algumas frases que ninguém aguenta mais escutar na conversa com a família ou os amigos. Ou seja, se vier na ponta da língua algum desses comentários, respire fundo, pense melhor e… não diga.

 

  1. Bissexual? Acha! É só uma fase.”

Não, querido(a). Não é só uma fase. A bissexualidade não é só um momento de transição para a homossexualidade ou não é um lapso momentâneo que vai passar. Entretanto, eles ouvem esse questionamento a todo tempo.

 

  1. “Ai, indeciso!”

Mais uma frase desse mesmo conceito. Ser bi não é estar em cima do muro, ok?

 

  1. “Bissexualidade não existe! Você é gay e não sabe ainda.”

Mais do mesmo.

 

  1. “Mas, você prefere homem ou mulher?”

E aí vem a necessidade de se “decidir” em relação a algo que não é escolha. Ainda que possa existir uma “preferência” por um gênero ou outro em alguns momentos, por quê é tão difícil compreender que uma pessoa pode gostar de seres humanos independentemente do seu gênero?

 

  1. “Então você deve gostar de fazer menáge.”

E o que isso tem a ver com o fato de ser bissexual? Pode ser que a pessoa goste sim de transar a três, mas a bissexualidade não é um sinal para chamar ninguém para aquela “festinha” particular. Essa pessoa inconveniente: não seja.

 

  1. “Oi sumida, rs. Fiquei sabendo que você está com uma garota. Posso participar?”

Depois disso, o diploma de embuste é seu.

 

  1. “Então você tem que fazer exame de DST sempre, não é?

Todos, independentemente da orientação sexual, precisam fazer exames recorrentes e cuidar de sua saúde sexual. Mas aparece nessa perguntinha, disfarçada de “preocupação com a saúde”, o preconceito e a ideia de promiscuidade.

 

  1. “Bi não consegue ser monogâmico.”

Oi?!

É da mesma ideia do item anterior, de que um bissexual tem mais “opções” e, portanto, são mais libidinosos. Não é assim que as coisas funcionam, amores!

 

  1. “Mas se você está namorando fulano(a) agora você é homo/hetero.”

Não, ainda é bissexual. A orientação sexual não muda de acordo com o(a) parceiro(a) que a pessoa tem.

 

  1. “Voltou a ser hetero?”

Não se “volta” a ser hetero, não se muda a orientação sexual. Existe cura gay, é isso?

 

  1. “Ai, isso é modinha! Agora todo mundo fala que é bi.”

Orientação sexual não é “moda”. Moda é usar meia arrastão por baixo do short.

 

  1. “Você não acha que está assim porque desistiu dos homens?”

Que mulher bi nunca ouviu isso? Apesar de ter muito embuste no “mercado”, não existe essa ideia de experimentar o “outro lado” só porque se desiludiu - é a atração, o carinho que conta. Mas parece ser difícil para alguns homens entenderem que o mundo não gira ao redor deles.

 

  1. “Mas você já experimentou pra saber se gosta?”

Outra pergunta recorrente, principalmente se a pessoa está em processo de autodescoberta ou de afirmação. Faria sentido se essa pergunta fosse feita para um heterossexual, por exemplo?

 

  1. “Ah, quem é bi não sofre preconceito. Eles podem ser heteros e está tudo bem.”

Essa é uma ideia que infelizmente alguns gays concordam e disseminam. Sim, bissexuais sofrem preconceito também. Todos estão no mesmo barco. Não minimize a luta do(a) coleguinha.

 

 

 

Posts Relacionados

0 comentários

  • Não há comentários

Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados